Credito-cobrançaVender a prazo implica conceder crédito aos clientes. “A empresa entrega mercadorias
ou presta serviços e o cliente assume o compromisso de pagar o valor correspondente em uma data futura”. A política de credito e cobrança é uma ferramenta muito importante e garante a saúde financeira da empresa, pois contribuem para a diminuição da inadimplência.

A importância do cadastro

A partir do momento que há um novo cliente a ser cadastrado na empresa, para futuras
vendas, os seus dados devem ser preenchidos corretamente e com o máximo de informações possíveis, garantindo a rapidez e liberação de seu crédito. Os dados cadastrais são essenciais para que possa ter o máximo de informações do cliente a respeito de sua situação jurídica, econômica e financeira.

Crédito

A origem da palavra crédito vem do latim creditum que significa confiança,
empréstimos, dividas, tendo hoje a expressão um significado mais amplo. As empresas vendem a prazo seus produtos e serviços, e consequentemente surge a necessidade de conceder crédito aos seus clientes, onde este assume a obrigação de pagar em data futura pré-determinada. Portanto, as empresas concedem credito para ampliar seu nível de operações, obter ganhos de escala, absorver melhor os custos fixos e assim, maximizar a rentabilidade. A concessão de credito aos clientes estimula as negociações, vendas e assim aumenta o fluxo de caixa na empresa.

Política de crédito

A política de credito é caracterizada pelos métodos adotados pela empresa para
concessão de credito a seus clientes, com objetivo de orientar na tomada de decisões pelo
analista financeiro.
O estabelecimento de uma política geral de crédito envolve o estudo de quatro elementos principais:

  1. Padrões de Crédito: representam as condições mínimas para que seja concedido o crédito. Geralmente, é feito por meio do agrupamento dos clientes conforme o grau de risco oferecido e é calculado um custo de perda relacionado a cada categoria de cliente;
  2. Prazo de Crédito: é o período em que a empresa financiará seu cliente. Normalmente, é expresso em número de dias e varia conforme a política adotada pela concorrência, os riscos do mercado consumidor, a natureza do produto, a política interna da empresa, entre outros;
  3. Concessão de Desconto: refere-se à redução no preço de venda no momento de sua realização à vista ou a prazos bem curtos. O desconto também é considerado um instrumento de política de crédito, pois influencia as vendas, os investimentos e as despesas gerais de crédito;
  4. Política de Cobrança: abrange os métodos utilizados pela empresa para receber o crédito, na data do vencimento, variando conforme as necessidades de cada empresa.

Os principais elementos de uma política de crédito são os prazos de recebimento, concessão de crédito a um novo cliente, limite de crédito máximo de vendas para cada cliente, avaliação de descontos por pagamentos antecipados e juro por atrasos e analise dos clientes inadimplentes.

Análise e concessão do crédito

A concessão de crédito tornou-se uma ferramenta de forte auxilio na área empresarial.
Ela acontece a partir que a organização sente-se segura em liberar o crédito, com o intuito de aumentar suas vendas com lucratividade.
O processo de análise e concessão de crédito recorre ao uso de duas técnicas: a técnica
subjetiva e a técnica objetiva ou estatística. A primeira diz respeito à técnica baseada no
julgamento humano e a segunda é baseada em processos estatísticos, dos quais segundo os
métodos “credit scoring” e o “rating” acabam se destacando.

Segundo o Serasa o Score de Crédito é uma ferramenta utilizada em mais de 100
países. É o resultado de um cálculo estatístico que tem por finalidade ajudar os consumidores e as empresas a realizarem negócios a crédito, com menor custo, maior agilidade e segurança. Já o rating, é uma avaliação de risco feita por meio da mensuração e ponderação das variáveis determinantes do risco da empresa.” Portanto, esse método procura mensurar a probabilidade de pagamento do devedor à organização. Esse risco possui padrão a nível mundial onde as empresas analisam o risco de inadimplência em uma escala determinada por órgãos que especialistas.